Conteúdo - Alergia Alimentar


Quando suspeitar de uma alergia alimentar?
-Quando manifesta sintomas, imediatamente ou próximo da ingestão de um alimento, e menos frequente após o contacto ou inalação de vapores de cozedura dum alimento.
-Quando sintomas idênticos se repetem após a ingestão do mesmo alimento, ou de alimentos relacionados.
-Quando manifesta, próximo da ingestão de um certo alimento, os seguintes sintomas isoladamente ou combinados:

Pele e mucosas - manchas ou pápulas vermelhas na pele com comichão (urticária), inchaço; comichão na boca;
Digestivo: náuseas, vómitos, diarreia, cólica abdominal;
Respiratório: espirros, comichão nos olhos ou lacrimejo, tosse, chiadeira no peito, dificuldade em respirar.

-Quando manifesta, próximo da ingestão de um certo alimento, uma reação alérgica grave (anafilaxia), podendo envolver vários órgãos como a pele, sistema respiratório e sistema digestivo e/ou sintomas cardiovasculares, traduzindo uma queda súbita da pressão arterial, suores, palidez, palpitações e perda de consciência.
-Quando manifesta, após realizar um exercício físico intenso e próximo da ingestão de um certo alimento, uma reação alérgica que pode variar desde uma urticária até uma reação alérgica grave.
-Quando manifesta comichão na boca, com ou sem inchaço dos lábios e/ou língua, imediatamente após a ingestão de alimentos vegetais, como os frutos frescos – síndrome de alergia oral.
-Quando manifesta após o contacto direto com o alimento vermelhidão e comichão na pele – urticária de contacto.
Em crianças, quando na presença dum eczema moderado a grave, particularmente nos primeiros anos de vida.
-Quando ocorrem, particularmente na criança, sintomas digestivos frequentes tais como recusa alimentar, vómitos, diarreia, má progressão no peso ou sangue nas fezes.
Se tiver o diagnóstico de esofagite eosinofílica.

Os doentes com história de reações alérgicas graves devem ser portadores de um estojo de emergência com adrenalina para autoadministração, em situações de ingestão acidental do(s) alimento(s) a que sejam alérgicos.

Recomenda-se que os doentes com alergia alimentar sejam avaliados em Centros de Imunoalergologia, com experiência nesta área.

Pelas particularidades inerentes ao diagnóstico de alergia alimentar de acordo com a idade do doente, particularmente na criança, pela complexidade de algumas situações envolvendo reações de reatividade cruzada entre grupos de alimentos, pela possibilidade de em situações mais graves serem efetuados procedimentos específicos de indução de tolerância oral, como para o leite de vaca ou ovo.

Informação retirada daqui

Comentários