quarta-feira, 9 de maio de 2018

Sintomas de intolerância ao álcool que podem ser ignorados ou confundidos com outras doenças



A intolerância ao álcool pode ser de 2 tipos:

-Congénita: característica geneticamente determinada, pela qual o corpo não consegue metabolizar o etanol e seus metabólitos.

-Adquirida: surge com o uso de medicamentos, pela incidência de doenças ou certas lesões.
O que diferencia as pessoas com intolerância ao álcool das demais?

Normalmente, depois que o álcool entra no sangue, o etanol se decompõe lentamente em acetaldeído, que por sua vez é metabolizado por enzimas durante um longo tempo. Pessoas com intolerância ao álcool sofrem com uma distorção da atividade enzimática no corpo. Ou seja, o álcool se decompõe muito rapidamente, o acetaldeído se concentra no sangue e causa o surgimento de muitos sintomas desagradáveis.

Fatores de risco:
-Etnia: pessoas de origem asiática, por exemplo, têm mais tendência a desenvolver intolerância ao álcool que as ocidentais.
-Alergia a componentes de bebidas alcoólicas: lúpulo (na cerveja), conservantes e aromatizadores.
--Consumo de alguns antibióticos e medicamentos antimicóticos.
Asma bronquial ou rinite alérgica.
-Alergias a cereais e outros alimentos.

Esses 9 sintomas principais indicam claramente uma intolerância ao álcool nos seres humanos. Agora que você sabe mais sobre fenômenos como a síndrome flush, é pouco provável que volte a confundir os sintomas com os de outras doenças e transtornos.

Sem comentários:

Mensagens populares

Recomendamos